Não vês?
Não sentes o meu sentir?

...

fica aí a falar sozinho...que bem sabes expressar-te minha querida ratita.
ficarei, com um profundo e complicado nó, mas ficarei!

Adeus

Já gastámos as palavras pela rua, meu amor, 
e o que nos ficou não chega 
para afastar o frio de quatro paredes. 
Gastámos tudo menos o silêncio. 
Gastámos os olhos com o sal das lágrimas, 
gastámos as mãos à força de as apertarmos, 
gastámos o relógio e as pedras das esquinas 
em esperas inúteis. 

Meto as mãos nas algibeiras e não encontro nada. 
Antigamente tínhamos tanto para dar um ao outro; 
era como se todas as coisas fossem minhas: 
quanto mais te dava mais tinha para te dar. 

Às vezes tu dizias: os teus olhos são peixes verdes. 
E eu acreditava. 
Acreditava, 
porque ao teu lado 
todas as coisas eram possíveis. 

Mas isso era no tempo dos segredos, 
era no tempo em que o teu corpo era um aquário, 
era no tempo em que os meus olhos 
eram realmente peixes verdes. 
Hoje são apenas os meus olhos. 
É pouco, mas é verdade, 
uns olhos como todos os outros. 

Já gastámos as palavras. 
Quando agora digo: meu amor
já se não passa absolutamente nada. 
E no entanto, antes das palavras gastas, 
tenho a certeza 
que todas as coisas estremeciam 
só de murmurar o teu nome 
no silêncio do meu coração. 

Não temos já nada para dar. 
Dentro de ti 
não há nada que me peça água. 
O passado é inútil como um trapo. 
E já te disse: as palavras estão gastas. 

Adeus. 

Eugénio de Andrade, in “Poesia e Prosa” 

Mas não é isto que eu sinto!

TRAIL DO SICO

Não podia estar mais contente depois do Trail do Sicó que ontem se correu na distância de 65 km.
1o lugar no meu escalão, maiores de 55, com subida ao podium fazendo esquecer tudo o que ficou para trás!




saldo positivo

Magnífica Serra da Boa Viagem, com um bom treino de 18 kms neste último sábado com muita chuva e vento e saldo positivo no campo das emoções!





de novo

Algo contigo - El Lado Oscuro del Corazón: http://youtu.be/nk_eyLccEjo

caminhos


É por caminhos como este que me perco...

corro e gozo sensações em solitário que só não são maiores porque não as partilho contigo, ainda assim estás presente em cada passada e acompanhas-me sempre que me sinta feliz!

São Silvestre de Coimbra


Não podia faltar à São Silvestre da minha terra que este ano inaugurava um novo (e melhor) percurso, mesmo com uma longa subida desde a Praça 8 de Maio até aos Arcos do Jardim mas com chegada junto ao complexo das piscinas e pavilhão desportivo rodeada de todo o apoio, nomeadamente excelentes balneários, que bem se agradeceu, tendo em conta o muito frio que se fazia sentir. 
9,300 kms para 43' que me deixaram bastante satisfeito!

São Silvestre da Figueira da Foz


Na São Silvestre da Figueira da Foz dei o meu melhor, nuns 10 kms para 47', à beira mar e com um frio de se lhe tirar o chapéu!

trail da Ega


ainda não foi desta que o céu me caiu em cima da cabeçanem depois desta me irei dedicar à...pesca.
tudo isto porque se ontem quando me levantei, seis e meia da manhã vi o céu negro e ameaçador de chuvas torrenciais, depois da partida tudo se tornou claro e à medida que se venciam os kms monte abaixo e acima com muito barro, lama e água e pedras e algumas subidas de se lhe tirar o chapéu à mistura, tudo se ia tornando simples e concluímos que ainda estamos para as curvas e para muito mais!


ega-condeixa-a-nova

24 suados kms, 02h44',
109 da geral (184 chegados),
17 do escalão (M50)

e venha o próximo!

Terás sonhado

terás sonhado que me abraçavas porque senti a doce carícia do teu braço no meu ombro!

(Des)felicidade

a (des)felicidade é tanta, às vezes, que se me rebentam todos os sentidos!

trail de coimbra



neste último domingo
fomos correr o I trail run de coimbra com partida e chegada na mata nacional de vale de canas numa distância de 20 kms com um grau de dificuldade assinável mas que, mesmo assim, cumprimos como deve de ser.
as distracções iniciais, acompanhando nos primeiros sete kms os três amigos da equipa, como que me roubaram o 3º lugar no meu escalão.
a alegria e satisfação (das poucas que vamos tendo) valeram por tudo!





entre  tonight e noite prefiro a(s) noite(s) passada(s)!
é como se de repente tudo viesse abaixo e, muito sinceramente, preferia que não fosse assim. 
não por pensar que a vida sem sobressaltos e em sossego é que é mas porque, a agitação e o desassossego do coração, por tão fortes e violentos, mais do que tudo...não os quero!

há tempos que buscava esta foto tirada em 1990 aquando da minha primeira meia maratona...na Nazaré.
por (boa) companhia tive o meu pai, de quem me lembro tantas e tantas vezes, só para mim!


hoje não houve corrida, 

tanto mais mais que se impunha descansar, como aliás, amplamente recomendado por todos aqueles amigos ( e inimigos) ...que não correm. 

além do mais esperava-me um belo peixe assado no sítio do costume das sextas-feiras, a que não se podia faltar. 
do restante nem vale a pena falar nem seria de bom tom maçar(me), tantas e boas foram as (des)emoções sentidas (que bem sei mentir...acerca das emoções ou, talvez não).

18 anos



um tri-coração com desejo de muitas felicidades, para uma certa ratita que atinge hoje, dezoito anos depois, a maioridade.

não diria melhor!



hoje não houve corrida e o desistir está mais longe cada dia que passa. tarde solarenga que em silêncio se deixa cavalgar pela melancolia que toma conta de mim.

Rodrigo Leão | Vida Tão Estranha



três dias de corrida, nesta semana, como tem sido costume na hora do almoço no sítio habitual e mágico que é o jardim botânico logo aqui ao lado. 
o vazio de gente e as sombras por companhia nos caminhos estreitos, dum carrossel de curvas, cantos e escadarias aclamam (me) por momentos o turbilhão...

porto tónico


para uma receita simples:
muito gelo, 3 dedos de porto branco e o restante de tónica, uma rodela de limão e 2 ou 3 folhas de hortelã fresca,
um resultado muito agradável num qualquer fim de tarde de sábado. 
(dois copos (juntos)melhorariam substancialmente o resultado).

solo




nem só o som das passadas me acompanha nas saídas solitárias da hora do almoço. mil questões outras tantas semrespostas e tantas, tantas emoções caladas. a pouco e pouco tento reconstruir o prazer de correr. 

II Trail Ansibikers de Ansião

percurso pelos montes à volta de Ansião com partida e chegada à Praça do Muncípio numa manhã de sol muito agradável.
aparte algumas falhas na sinalética que originaram queixas de alguns participantes, onde me incluo, por enganos desnecessários que muito custam a recuperar em termos de tempo perdido e desânimo, a organização esteve muito bem, desde o preço da inscrição, bastante sensato para o que se tem visto (8,00€) até à animação na partida, com a bonita praça a transbordar alegria, passado pelos postos de abastecimento, depois do primeiro, riquíssimos em quantidade e qualidade onde não faltou a enorme simpatia dos colaboradores. não há dúvida que mereceu a pena ter ido.
os 25 kms correram bem, digo corriam bem, sem dificuldades de maior, troços planos, com descidas e com subidas para todos os gostos mas no começo do trilho do calaias, ao km 19, as coisas mudaram de figura. era o   início de uns 3 kms muito técnicos com um desnível bastante acentuado e com recurso a corda e força de braços para o transpor. tudo muito bonito mas que a enorme atenção no trilho, nas raízes a descoberto e pedras, com a ribanceira e o rio ao fundo, obrigava a cautelas redobradas para, por fim, desaguar numa estradão de onde já se cheirava a meta.














LOUZAN1000


treze anos depois voltamos à serra Louzã para a mítica louzan1000 (era assim que na altura se denominava esta prova, muito por culpa de seu elevado grau de dificuldade e tb porque havia poucas ao contrário dos tempos de hoje).
10,000 km com um desnível positivo de 1035 metros num percurso de luxo, tal é a beleza da serra da Lousã, até ao cume do Trevim. 
para ir tivemos que madrugar e às 5 horas da manhã já se estava a pé, não que a distância (70 kms) fosse grande mas queríamos estar tranquilos e...estivemos, tirando eu que fico com algum nervoso que não deixo de transmitir a estas duas pequenas da foto que fizeram o percurso descendo a serra, o que foi uma ideia feliz da organização, permitindo que os que subiam (trail) e os que desciam (caminhada) se cruzassem pelo caminho.



antes da partida toda a família, assim dá gosto!














bacalhau assado c/batatas a murro

                         
há poucas coisas que proporcionem tanto prazer com uma boa mesa corrida com um grupo de amigos ao seu redor!






Bairrada

la cata de viño nuevo ya se aproxima a pasos largos y, como en años anteriores, por lo que se denomina "região da bairrada" marcaremos presencia!



um belo bacalhau à lagareiro

por certo que as opiniões são as de cada um mas, neste caso, a tarde chuvosa e cinzenta deste último sábado convidava, quase por obrigação, a ficar-se por casa e a opinião dos três era a uma só voz: bacalhau à lagareiro, por favor:





por morrer uma andorinha não acaba a primavera

hoy deberia tocar pero no toco, 
hablo de eso del correr, esa cosa que me ocupa el pensamiento desde luego por la manaña, esa cosa que me hace volar aún  que no pueda, como hoy, salir del mismo sítio, esa cosa que me hace pensar que sigo igual, apesar de las diferencias pero, como dice el fado, no es por no salir a correr hoy que dejo de salir...manaña!